Conferência da Mentirinha

NAPA – NÚCLEO DE APOIO AOS PAIS E ALUNOS

e-mail: napa_org@yahoo.com

18/04/2008
Conferência da Mentirinha – Parte 1

A imprensa não deu a menor bola para a Conferência Nacional da Educação Básica (Brasília – 14 a 18 de abril/2008)… também não houve novidades… só um monte de professores-doutores falando alto e não ouvindo alunos, nem pais e nem a comunidade…
Nenhum dos professores-doutores fez referências às responsabilidades de maus professores pelos baixos níveis educacionais…
Teve um professor-doutor “indignado” com o fato dos alunos serem aprovados sem ter aprendido nada… Pena que este professor-doutor fechou os olhos ao outro lado da moeda: os maus professores continuam recebendo seus salários e “passando de ano”, mesmo sem nada ensinarem aos seus alunos…

***

18/04/2008 07:49

Conferência da Mentirinha – Parte 2

Não houve uma real avaliação dos últimos 10 anos da educação no Brasil…
O Fundo do Ensino Fundamental (Fundef – 1997/2007) aumentou os recursos para a educação e a remuneração dos professores… mas, o nível educacional piorou!!!
Nestes últimos 10 anos, os alunos mudaram… os pais mudaram… os governantes mudaram… a única coisa que permaneceu “do mesmo jeito” foi o mau corporativismo que reina nas escolas públicas brasileiras… este mau corporativismo não aceita nenhum tipo de fiscalização e nem que sua remuneração esteja vinculada ao desempenho de seus alunos.

Foi uma luta histórica para vermos publicada as “notas das escolas”… e isso só começou a acontecer em 2005… a publicação da notas do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) foi um ato unilateral do governo Lula… se ele fosse esperar a “aprovação” das corporações, aquelas notas nunca seria divulgadas…
Registre-se que o mau corporativismo ainda continua mandando em muitos estados e cidade. Na capital de S. Paulo, a corporação está impedindo a divulgação das notas das escolas na “Prova São Paulo”…
Ninguém contestou a famigerada deliberação do Conselho nacional de Educação (avalizada pelo MEC) que desobrigava as professorinhas a se formarem em curso superior. Esta deliberação ficou em 3º lugar no Prêmio IgNóbil de Educação 2003:
3º – Nelio Bizzo e Cristóvam Buarque (Conselho Nacional de Educação / Ministro da Educação) – acabaram com a exigência de diploma universitário para as professoras da Educação Infantil e das quatro primeiras séries do Ensino Fundamental – só falta criarem o “Sindicato das Tias”.

***

18/04/2008 08:29
Conferência da Mentirinha – Parte 3

A Representação do Ministério da Educação em SP (ReMEC-SP) desapareceu com as propostas que os pais aprovaram na Conferência da Educação Básica de SP.
O relatório enviado à Brasília não continha as seguintes propostas:
01: Debates e aprovação do Plano Estadual de Educação e dos Planos Municipais de Educação;
02 – Criação da Promotoria dos Interesses Difusos e Coletivos da Educação (no Ministério Público);
03 – Efetiva garantia de participação dos pais na Gestão Democrática da Educação, mediante: a) Acesso à Informação; b) Transparência; c) Paridade nos diversos conselhos (usuário/gestor); e d) controle Externo, mediante criação de um Conselho formado por Pais e Alunos;
04 – Debater (nas Assembléias Legislativas) a questão sobre a Eleição Direta para Diretores de Escola;
05 – Organizar seminários para rediscutir o “Ensino de 9 anos”;
07 – Ouvir as mães e os pais na questão da Educação Sexual nas escolas;
08 – Repúdio ao PL nº 772/2007 (do deputado Baleia Rossi – PMDB-SP) que propõe suspensão sumária de alunos e a expulsão mediante julgamento nas APMs (sic);
09 – Viabilizar o transporte e a estada dos pais em Brasília…
A proposta nº 06 foi apresentada pelo Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública. Ele repudia as tentativas de transformar o Sinase (Sistema Nacional de Atendimento Sócio-Educativo) em um “código de execução penal para adolescentes. O artigo 31, §1º do PL 1627/2007, do Poder Executivo, retira a competência dos municípios em aprovar (ou rejeitar) o registro de programas de semiliberdade e internação…”

Detalhe curioso: os responsáveis pela redação final do Relatório da Conferência de SP foram dois representantes da corporação de professores… teria sido mera coincidência?

***

18/04/2008 09:56
Conferência da mentirinha – parte 4

Já denunciamos o pacto da mediocridade entre o governo e as corporações. O governo quer controlar as 100 mil escolas municipais e estaduais… e a corporação quer mais dinheiro…
Mas estava faltando denunciar o que o governo e as corporações não querem debater:
1) não querem debater a eleição direta para diretor de escola. Sem compromisso com a comunidade escolar, o governo e as corporações ficam livres para fazer o “acerto por debaixo do pano”: um finge que ensina e o outro finge que fiscaliza;
2) não querem que haja transparência na gestão escolar… não querem informar como são gastos o dinheiro que chaga nas escolas… não querem informar como é que a direção escolar avalia o desempenho dos professores…
3) Teve professor que ficou “arrepiado” quando ouviu a proposta de criação das Promotorias dos Interesses Difusos e coletivos da Educação…
4) não aceitam ouvir alunos, pais e comunidade na questão de currículo, proposta educacional e nem prática pedagógica… é por isso que fazem lobby em Brasília para tornar obrigatório alguns cursos… tudo nos moldes das corporações de ofício da Idade Média…
5) Os “consultores educacionais” protestaram quando apresentamos a proposta de que fossem ouvidos os pais sobre a proposta da “educação sexual”… não querem nem saber qual é a opinião dos pais… os “especialistas” já decidiram tudinho pelos pais… não aceitam nenhuma contestação contra as caras consultorias que eles vendem para as escolas públicas brasileiras…
6) sumiram com os debates e as propostas dos pais sobre “Medidas Sócio-Educativas”… mas isto merece um tópico à parte…

***

18/04/2008 10:24
Conferência da Mentirinha – Parte 5

As escolas não estão cumprindo com as suas responsabilidades em aplicar medidas pedagógicas nos casos de alegadas indisciplinas dos alunos… qualquer rebeldia é tratada como “caso de polícia”… a regra é ameaçar com suspensões, expulsões, “conselho tutelar” e “febem”.
na Conferência Estadual da Educação Básica de SP foi montado um debate sobre “Medidas Sócio-Educativas”. Mas, estranhamente, tanto o debate quanto as propostas “desapareceram” no relatório final…
Um curiosidade: havia representantes da Undime na organização da Conferência de SP. A União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação já frequentou este blog: “a pesquisa promovida em seu portal na internet está indicando 54% de aprovação para o “rebaixamento da idade penal”… contra apenas 41% para o aumento das verbas para Educação em tempo integral”…
Pesquisa da Undime indica solução para diminuição da violência urbana:
54% (1281) votaram pela redução da maioridade penal;
03% (93) votaram para “Aumentar a pena dos infantis”; e
41% (969) votaram por uma educação de tempo integral.

Curiosidade: as informações sobre a confirmação de credenciamento e das “passagens aéreas” era feita por alguém utilizando um email da Undime… Será uma mera coincidência o indeferimento do credenciamento da Ana Maria Pereira dos Santos? Ana Maria foi escolhida delegada dos pais na conferência de SP… Ana Maria é coordenadora do Fórum Municipal de Educação de SP, o qual promoveu o debate “Extinção da Febem e o Reordenamento Institucional” em março de 2006…
Quem “aposta na febem” boicota quem denuncia a febem…

***

18/04/2008 11:01
Conferência da mentirinha- Parte Final

Os membros do Núcleo de Apoio a Pais e Alunos (NAPA) e do Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública (COEP) decidiram não participar da Conferência Nacional da Educação Básica porque já anteviam que os pais seriam boicotados e não teriam direto à livre manifestação e apresentação de suas propostas.
A figuração dos pais foi “permitida” na vã tentativa de “legitimar” a aprovação de propostas meramente corporativas.
Não houve debates e nem propostas sobre punições contra maus, funcionários, maus professores e maus diretores…
– O Paraná manda um batalhão de polícia invadir uma escola pública para revistar alunos… mas isto não é debatido na conferência da mentirinha…
– Um juiz de Fernandópolis-SP diz que é o professor que manda na sala de aula e que nem precisa ouvir a versão da aluna… a punição é de trabalhos forçados (varrer a escola) por 6 meses… mas isto não é debatido na conferência da mentirinha…
– O juiz de Ilicinéa-MG sentencia dois alunos (7 e 11 anos) a trabalhos forçados (varrer a escola por 3 meses)… mas isto não é debatido na conferência da mentirinha…
– Mais de 85% dos presos não terminaram nem mesmo a 4ª série do ensino fundamental… mas isto não é debatido na conferência da mentirinha…
– Secretaria de Educação de SP diz que é normal professor chamar aluno de bicha… mas isto não é debatido na conferência da mentirinha…

Postado por Mauro A. Silva – Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública
Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública

Anúncios

Uma resposta para “Conferência da Mentirinha

  1. Pingback: Cremilda Dentro da Escola - » Conferência Nacional de Enganação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s