Conferência Nacional de Enganação



Conferência Nacional de Enganação - CONAE 2010

A conferência promovida pelo MEC não passa de uma Conferência Nacional de Enganação.
A CONAE 2010 deveria garantir a participação representativa dos alunos, das mães e dos pais. Mas o que se viu foi um completo domínio das corporações… foram os sindicatos que mandaram e desmandaram nas diversas conferências municipais, regionais e estaduais…
No caso do município de São Paulo, a conferência foi coordenada por representantes de sindicatos de professores. Pior que isso: a representante do pseudo-sindicato de professores de S. Paulo impediu que se registrassem as propostas das mães e dos pais de alunos… ela criou um regimento no qual só as propostas que contassem com a aprovação de mais de 30% dos participantes é que seriam registradas… como as mães e os pais só tinha direito a menos de 12% das vagas, toda e qualquer proposta dependia da aprovação da corporação de professores, que detinham mais de 70% das vagas…

As manipulações foram tão descaradas que até impediram o segmento “pais de alunos” de ocuparem uma vaga na coordenação da conferência municipal de S. Paulo e na estadual de SP… deram a vaga para uma pessoa ligada a um instituto de um partido político…
Além de impedirem os representantes da mães e dos pais de alunos participarem da coordenação, ainda manobraram para que os delegados deste segmento fossem escolhidos entre os professores que tinham filhos matriculados nas escolas… assim ficava “todas as vagas na família das corporações”…
Essas manobras – para calar a voz das mães e pais de alunos – nós já tínhamos denunciado quando o MEC organizou a 1ª CONEB 2008 (1ª Conferência do Ensino Básico). Na etapa estadual de SP, o NAPA e o Movimento COEP participaram ativamente, até mesmo da coordenação, garantindo que as vagas das mães e dos pais não fossem ocupadas por professores. Também garantimos que todas as manifestações dos pais fossem registradas para que constassem na etapa da Conferência Nacional. Mas qual não foi a nossa surpresa ao constatar que as proposta das mães e dos pais “sumiram” no relatório final apresentado em Brasília… detalhe digno de registro: os redatores foram dois representantes de sindicatos de professores… (leia mais aqui: Conferência da Mentirinha)

Do que a corporação de professores tem medo?
– Os maus professores têm medo da fiscalização dos pais;
– Os maus professores têm medo da transparência e da prestação de contas;
– Os maus professores têm medo da divulgação das notas das escolas;
– Os maus professores têm medo da denúncia do duplo emprego (não trabalham direito em nenhum deles):
– Os maus professores têm medo da gestão democrática;
– Os maus professores têm medo da eleição direta para diretor de escola;
– Os maus professores têm medo de divulgação de seus salários (acaba com o mito dos baixos salários);
– Os maus professores têm medo da avaliação de sua atuação (não querem provas, provinhas e nem provão);
– Os maus professores têm medo que seus filhos (matriculados nas escolas particulares) tenham de concorrer com os filhos dos pobres se a escola pública for de boa qualidade…

continua…

Autor: Mauro A. Silva – Categoria(s): Sem categoria Tags: ,

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s