O bullying e a “pedagogia do tapa na cara”

“O ideal é que tudo seja apaziguado com diálogo. Caso isso não seja possível, Beatrice aconselha o professor permitir, ao aluno que apanhou, dar a mesma quantidade de tapas no aluno que bateu. Nem um a mais, nem um a menos. O acordo deve ser supervisionado por um adulto”.
Adivinhem onde foi que publicaram tamanha bobagem…
Acertou quem disse que tal bobagem foi publicada no no blog da “panelinha do nassif” (blog com mais de 1.500 professores, e que expulsa mães e pais que defendem os alunos das escolas públicas).
Esta pedagogia do tapa na cara foi publicada pelo marido da autora, uma tal de Beatrice Bexter… ele ainda ressalta que “a educadora Beatrice Baxter” é “mestre em filosofia e especialista em epistemologia genética, teoria criada por Jean Piaget que estuda o processo cognitivo humano” (sic). Leia aqui (“O bullying nas escolas“, 25/05/2010).

O que é Bullying
Curiosamente, os comentário da “panelinha do nassif” estavam mais preocupados em criticar a expressão inglesa “bullying” do que avaliar a questão das “agressões físicas e morais” praticadas por alunos contra alunos.
Bullying[1] é um termo inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (bully – «tiranete» ou «valentão») ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz(es) de se defender. Também existem as vítimas/agressoras, ou autores/alvos, que em determinados momentos cometem agressões, porém também são vítimas de bullying pela turma.

Qual é a responsabilidade da escolas e dos professores?
Teve comentário culpando a própria vítima pelo bullying.
Ninguém falou na responsabilidades dos professores, seja por omissão ou até mesmo pela prática de incentivo ao Bullying. Pesquisa recente da Unicamp revela que metade dos alunos sofrem ofensas e agressões praticadas pelos seus próprios professores.
Alguns comentaristas da “panelinha do nassif” cobraram responsabilidades da escola no caso recente de Minas Gerais, onde os pais de um aluno foram condenados a pagar R$ 8 mil de indenização pelos atos de seu filho, o qual teria praticado bulling contra outra aluna. Eles cobraram responsabilidade da escola por ela ser particular? E nas escolas públicas? Os professores e as direções escolares não têm culpas???

Comentários da “panelinha do nassif”
Vejam alguns destaques e propostas apresentadas no blog “panelinha do nassif”:
– deixar que os alunos resolvam nos tapas;
– Essa estoria de ” bullying “, é coisa de pequeno burguês complexado;
– vai lá e na primeira provocação, ante de levar, da uma PORRADA na cara do camarada;
– Afinal, ninguém mexe c/o “loko” q além d demonstrar não ter medo d briga, o q implica q não tá nem aí em apanhar pra poder machucar, tb “apela”, seja por ex. atirando um tijolo na cabeça d “colegas” mais abusados, rasgando ou furando os mesmos c/1 estilete, lápis ou o q tiver à mão se for preciso;
– Primeiro, após uma vez em que o talzinho me deu um soco na cara na saída da escola, meu irmão dedicou algumas horas ensinando-me a dar uma porrada bem dada.
– Crianças são umas pestes e os pais e o professores ultimamente são uns bananas. É simples.
– No fundo o problema do “bullying” está mais na “vítima” do que no “agressor”;
– Briguei muito, bati muito, apanhei muito, provoquei muito, e muito fui provocado. Sobrevivi e, sem falsa modéstia, muito bem. Sou até feliz…
– São meninos E meninas sem a menor condição de conviver em sociedade. estão na escola única e exclusivamente para fazer das pessoas que escolhem, um verdadeiro inferno.
– Há quem diga que está faltando às crianças, também, uma religião. A educação é feita pelos pais, pela família. Esta, sendo religiosa, ajuda muito no desenvolvimento do caráter das pessoas. Quem crer em Deus tende a ser mais cordial, mais respeitoso, mais justo para com o semelhante.
– E depois ainda dizem que adolescentes são inocentes de tudo e seriam incapazes de malandramente usar o Estatuto da Criança e do Adolescente a seu favor.
– Eu mesmo fui zuado e zuei com muita gente e sou bem resolvido quanto a isso.
– A escola é onde começa a selvageria humana, primeira lição o mundo é uma selva. Ja tem gente pagando idenização, mas isso só vai parar mesmo quando der cadeia e febém!

Conclusão
Mais de 1.500 professores discutindo bullying… e as propostas apresentadas: “deixar os alunos resolverem nos tapas”, “ensinar as crianças a dar porradas”, “pregar uma fé religiosa”, “mandar para a cadei e febem” etc… Já imaginaram quando a “panelinha do nassif” for discutir educação na TV Brasil? Que os deuses nos acudam e protejam nossas criancinhas.

S. Paulo, 25/05/2010
Mauro Alves da Silva
Autor da cartilha COMO EDUCAR MEU PROFESSOR EM 10 LIÇÕES.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s