Vanessa-Alice na escolinha das maravilhas

Demorou, mas a jornalista Vanessa Cabral finalmente registrou e divulgou uma atitude criminosa da escolinha estadual Brigadeiro Faria Lima (S. Paulo – SP): a ilegal suspensão de alunos. Crianças de 11, 10 anos ou menos, colocadas para fora da escola pública…
No artigo “NÃO SABE O QUE FAZER? DELETA O MENINO!”, a jornalista Vanessa Cabral relata:
“Um menino da quarta série foi suspenso por uma semana. O mesmo que deu uma rasteira no Arthur outro dia, deu um soco na barriga de outro menino. Qual foi a solução pedagógica? Deixar o menino em casa uma semana, perdendo aulas”.

Suspensão é “Solução pedagógica”?
Eu tinha decidido não mais comentar o blog da jornalista Vanessa Cabral… Mas não dá para ignorar propagandas do tipo: “porque de gente reclamando o mundo está esgotado… Muito pelo contrário: o que falta neste país é justamente uma consciência crítica para reclamar dos péssimos serviços públicos, escolas inclusive.
Agora vem o registro de um ato criminoso praticado pela escola [suspensão de alunos] e a jornalista trata como “solução pedagógia”??? Mesmo que ela não concorde com a “solução pedagógica”, ainda assim ela tem o dever de denunciar esta violação do direito da criança: “Os casos de suspeita ou confirmação de maus-tratos contra criança ou adolescente serão obrigatoriamente comunicados ao Conselho Tutelar da respectiva localidade, sem prejuízo de outras providências legais” (artigo 13 do Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA – lei federal 8069/1990). Este artigo 13 deve ser combinado com o artigo 18: “É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor“.

Vanessa-Alice na escolinha das maravilhas
Havia uma expectativa de que este “diário da mãe-jornalista” apresentaria uma “mãe consciente”, uma mãe participando da gestão escolar, uma mãe opinando sobre a proposta educacional… Mas o que vemos é uma participação passiva…
Até mesmo a falta de uma “quadra coberta” é ignorada… e o ato criminoso da “suspensão” é tratado como “solução pedagógica”…
Ainda estamos aguardando que a mãe-jornalista faça a divulgação do regimento interno da escolinha, do calendário escolar, das atas das eleições da APM e do Conselho de Escola… Mas parece que a autora do blog está em uma fase de “alice na escolinha das maravilhas”… Bem, ela pode se dar a este luxo, pois assim que a historinha virar um “pesadelo” ela poderá simplesmente “acordar” e matricular seu filho em uma escola particular… Pena que Isso não é possível para a maior parte das famílias brasileiras.

E agora, José Benedito?
José Benedito de Oliveira é coordenador da COGSP (Coordenadoria Geral de Ensino da Região Metropolitana de São Paulo). Ele comprometeu-se a investigar as denuncias de violência contra alunos e punir os responsáveis, começando pelo afastamento da direção escolar…
O José Benedito vai respeitar a Lei 8069/1990 ou vai rezar pela Cartilha dos Corvos?

(*) A jornalista Vanessa Cabral retirou seus dois filho (10 e 8 anos) da escola particular e os matriculou na escola pública estadual Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo, bairro nobre de Perdizes (S. Paulo-SP). Ela está escrevendo um blog (“Escola Pública não é de graça“), onde relata a sua experiência e a de seus filhos…

São Paulo, 10/06/2010
Mauro Alves da Silva
Autor da cartilha COMO EDUCAR MEU PROFESSOR EM 10 LIÇÕES.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s