A ignorância da ombudsman do jornal Folha de São Paulo

O Jornal Folha de São Paulo ainda não se retratou da farsa montada em cima dos resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM 2008), quando publicou a mentira de que a Escola Estadual Lucia de Castro Bueno (Taboão da Serra-SP) era a melhor escola pública de SP [a partir dos resultados do ENEM 2008].
A Folha já sabia que apenas 21 alunos da EE Lúcia de Castro fizeram o Enem 2008. Mesmo assim, a Folha mandou o repórter Fábio Takahashi entrevistar o diretor-durão, o qual aproveitou para falar mau dos secretários de educação, dos governantes… e sobrou até para a oposição: “E a esquerda até hoje acha que a democracia é o principal debate para a escola. Você pega o PT, eles estão discutindo eleição para diretor de escola. Uma bobagem” (“Governo do Estado só me atrapalha”, Folha de São Paulo, 04/05/2009).
No dia 17/05/2009, a Folha de São Paulo incorporou o discurso autoritário do diretor-durão e culpou, em Editorial, a indisciplina e o “democratismo” (sic) pelo baixo desempenho das escolas públicas.

Mandamos diversas cartas para a Folha de São Paulo, inclusive mostrando que várias escolas da capital tinham um número muito maior de alunos que fizeram o Enem 2008… Também mostramos que a EE Lúcia de Castro não avaliava todos os alunos nem mesmo no exame obrigatório do Saresp, produzindo uma distorção evidente… Detalhe: o Saresp faz parte do IDESP, o qual é utilizado para calcular os bônus anual dos professores e diretores das escolas públicas de SP.

Enem 2009 e o Ranking dos Espertalhões
Pois bem. Chegamos em julho de 2010… e finalmente o Ministério da Educação divulgou o resultado do Enem 2009…
Mas o jornal Folha de São Paulo volta a insistir em um ranking fajuto, ignorando completamente até mesmo a atual situação da EE Lúcia de Castro, que era, segundo a Folha, “a melhor escola pública de SP”…
Até mesmo o ranking das escolas particulares está distorcido, tanto pelo número insignificante de alunos avaliados quanto pela disseminação de se escolher apenas os “melhores alunos” para fazer o exame do Enem.

E o que fez a ombudsman da Folha?
Na semana em que o grande tema da educação era justamente a divulgação das médias por escola no Enem 2009, a jornalista Suzana Singer, ombudsman da Folha, trata de um assunto totalmente secundário: o número de eleitores analfabetos, cerca de 20% do eleitorado… a ombudsman contesta este percentual dizendo que o instituto de pesquisa DataFolha tem outros números…
Seria um mero caso de “ignorância” da ombudsman caso o Grupo Folha não tivesse interesse direto tanto no “mercado da ignorância” quanto nos bilhões de reais que movimentam os diversos governos municipais, estaduais e federal. A Folha tem contrato milionário com o governo de SP para distribuir seus jornais nas escolas públicas.
A Folha deveria ser mais crítica na avaliação do Enem, principalmente porque existe um mercado bilionário de venda de “apostilas”, “cursinhos”, “capacitação de professores” etc.
Alunos, pais e comunidade têm o direito a uma informação precisa e imparcial.

São Paulo, 25/07/2010
Mauro Alves da Silva
Autor da cartilha COMO EDUCAR MEU PROFESSOR EM 10 LIÇÕES.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s