Escola, pornografia, carolas e hipócritas.

Já imaginaram se alguém sugerisse que as escolas públicas utilizassem um livro onde tivesse histórias sobre incestos, estupros, curras, sexo grupal, apedrejamento, esquartejamento, etc?
Pois bem. Tem candidato à presidência da República defendendo o “ensino religioso” nas escolas públicas. Será que ele defende a utilização da Bíblia Sagrada, por exemplo? Será que as professorinhas das escolas públicas vão ler para as criancinhas o Livro dos Juízes?
Juízes 19:22 “(..) eis que os homens daquela cidade, filhos de Belial, cercaram a casa, batendo à porta; e falaram ao velho, senhor da casa, dizendo: Traze para fora o homem que entrou em tua casa, para que abusemos dele”
O velho não teve dúvidas. E deu um testemunho de para que servem as mulheres, segundo a Bíblia…
Juízes 19:24-25 – “Minha filha virgem e a concubina dele trarei para fora; humilhai-as e fazei delas o que melhor vos agrade; porém a este homem não façais semelhante loucura; porém aqueles homens não o quiseram ouvir; então, ele pegou da concubina do levita e entregou a eles fora, e eles a forçaram e abusaram dela toda a noite até pela manhã”
Após a longa noite, ela caminhou de volta até a porta da casa, onde apagou.
Juízes 19:28-29 – “(pela manhã, o marido saiu e) lhe disse: Levanta-te, e vamos; porém ela não respondeu; então, o homem a pôs sobre o jumento, dispôs-se e foi para sua casa. Chegando a casa, tomou de um cutelo e, pegando a concubina e a despedaçou”…

Essa introdução foi necessária para comentar as notícias de que algumas professoras-carolas estariam indignadas com o livro “Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século (2000)”, distribuído para alunos das 3as séries do ensino médio da rede pública de SP.
O conto “Obscenidades para uma Dona de Casa” (do escritor Ignácio de Loyola Brandão) realmente contém palavras obscenas e termos chulos, até pornográficos, podendo ofender pessoas mais sensíveis, principalmente as carolas hipócritas. Mas o conto destina-se a alunos da 3ª série do ensino médio, alunos com 17 anos ou mais… E não contém nada que seja desconhecido dos adolescentes nos dias atuais, nada que não seja ouvido até mesmo em bailes e festas onde o ritmo funk já está prevalecendo.
Talvez a grita das professorinhas-carolas seja por conta do tratamento artístico dado pelo genial escritor Ignácio de Loyola Brandão a um punhado de termos chulos, transformando o que seria mera pornografia em um conto magistral. Já imaginaram se nossos adolescentes dominassem a arte de escrever como o genial escritor? Certamente nossas professorinhas-carolas jamais poderiam continuar enganando nossas crianças com uma gramática decorada que só serve para matar-lhes a criatividade, criando dóceis servos para serem explorados por toda a vida.

Leia o conto “Obscenidades para uma Dona de Casa” aqui.

São Paulo, 07 de agosto de 2010.
Mauro Alves da Silva
Coordenador do Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública
Autor das cartilhas:
– “Como Educar meu Professor em 10 Lições”
– “SOS Aluno – Manual Prático de Sobrevivência na Escola Pública”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s