Ignorância e preconceito do Jornal Agora São Paulo

A reportagem “Repetência escolar é polêmica na educação” (Agora São Paulo, 14/09/2010) apresenta toda a ignorância e preconceito da imprensa quando trata da educação e das escolas públicas.
Na entrevista feita com os candidatos ao governo de SP, a jornalista Adriana Ferraz não fez nenhum questionamento sobre a participação dos pais na vida escolar dos filhos e nem na gestão escolar…
A reportagem comprou o discurso da corporação, que culpa a “progressão continuada” pelas mazelas da educação…
A reportagem não se preocupou em ouvir os alunos, nem as mães, nem os pais, e muito menos as entidades representativas destes segmentos… Seria por preconceito? As entrevistas eram só para reafirmar o desprezo de todos pela voz dos alunos, das mães, dos pais e das comunidades do entorno escolar?

A imprensa demonstra toda a sua ignorância quando pergunta aos candidatos se eles vão acabar com a “progressão continuada”, pois esta política educacional é uma deliberação do Conselho Estadual de Educação. A Progressão Continuada “pede avaliação continuada também do processo de aprendizagem dos alunos, o qual deve ser objeto de recuperação continuada e paralela.” (in Indicação CEE nº 22/97).
Por que a imprensa omite o fato de que não existe ciclo no ensino médio? Por que a imprensa não diz que pode haver reprovação em cada um dos 3 anos do ensino médio?
A imprensa demontra ser parcial ao não culpar as corporações de professores e direções escolares que transformaram a “progressão continuada” em “aprovação automática”.
Para reprovar um aluno, a escola tem de apresentar relatórios demonstrando que foram adotadas todas as medidas necessárias para garantir que o aluno aprendesse. A escola deve provar que ofereceu todas as aulas, que houve avaliação continuada e até mesmo recuperação paralela… Mas, os maus professores e as más direções escolares não querm ser cobradas nem fiscalizadas e nem serem respnsabilizadas pelo fracasso do aluno. em vista disso, “dão uma nota azul e passam o infeliz”… (Isso está confessado no documentário “Pro Dia Nascer Feliz”, 2006. Veja aqui).
A reportagem nem mesmo se aprofundou nos seguintes temas relacionado ao mau corporativismo que impera nas escolas públicas::
1) Absenteísmo – professores que faltam muito ao trabalho;
2) Dedicação integral dos professores a um aúnica escola;
3) Avalliação de professores, formação continuada, reciclagem e até mesmo demissão de maus professores.

Participação dos pais e Gestão Democrática
Já está mais do que provado que a participação das mãe e dos pais é um dos principais fatores da melhoria da educação.
Uma imprensa democrática deveria ouvir os pais e as entidades que os representam.
A reportagem deveria ouvir a opinião e a proposta de cada canddato sobre os seguinte temas:
1) Garantia de gestão democrática nas escolas públicas;
2) Fiscalização das eleições dos conselhos de escola e das associações de pais e mestres;
3) Eleição Direta para diretor de escola/
4) Ouvidoria do Aluno – órgão para ouvir as queixas e reclamações dos aluno, mães, pais e comunidade contra as escolas públicas. Este órgão deve ser independente da corporação de professores, de diretores e de funcionários);
5) Divulgação semestral das estatísticas sobre violências nas escolas (por unidade escolar).

continua…

Leia mais aqui:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s