Ainda sobre a Progressão Continuada.

O candidato a governador por SP, Aluízio Mercadante, tem um discurso sobre a educação que soa artificial e até mesmo hipócrita, pois foi o próprio PT que implantou as primeiras experiências de “progressão continuada” na educação pública. Primeiro em Belo Horizonte. Depois na cidade de S. Paulo, na gestão Luiza Erundina (1989-1992).
Quem transformou a “progressão continuada” [avaliação continuada e recuperação paralela] em “aprovação automática” [ninguém avalia nem se responsabiliza pelo ensino dos alunos] foi a cumplicidade criminosa entre maus professores [que não ensinam] com maus governantes [que não gerenciam e nem fiscalizam]. Nenhum deles quer a participação ativa dos alunos nem dos seus pais na gestão escolar.
Quem quiser saber mais sobre a diferença entre “Progressão Continuada” e “aprovação automática” assista a este vídeo: “Progressão Continuada – Curso Rápido para candidatos ignorantes”
.

Em SP, a escola pública está completamente loteada. Tanto as direções das mais de 5 mil escolas quanto as quase 100 diretorias regionais de ensino são preenchidas segundo critérios políticos… e com a conivência de grande parte dos professores.
Dizer que “sempre esteve ao lado dos professores” não significa muita coisa, pois o mau corporativismo é um dos principais responsáveis pela degradação do magistério em SP: os maus professores não aceitam nenhum tipo de fiscalização sobre o seu serviço… e o espírito corporativista coloca no mesmo “balaio-de-gatos” o bom professor e o mau professor.

Diretoria Regional de Ensino de Araraquara (SP).
Vejam o caso da Diretoria de Ensino de Araraquara (SP).
A corrupção estava instalada na diretoria de ensino há mais de 10 anos. Mais de 20 direções de escolas acusadas de falsificação de notas frias… O inquérito policial identificou claramente um escritório de contabilidade que emitia as notas fiscais… uma das funcionárias deste escritório morreu atropelada “em circunstâncias misteriosas”…
Quem denunciou o esquema da Diretoria de Ensino de Araraquara foram os próprios diretores de escola…
Passados 10 anos, e somente após a instalação de uma “Corregedoria da Educação” específica, com procuradores do Estado [sem vínculos com a corporação de professores] é que saíram as primeiras punições “administrativas”: a ex-dirigente regional de ensino foi “suspensa por 90 dias”… em 30/08/2010, um diretor foi “demitido a bem do serviço público” por conta de suas participação em alguns atos naquela diretoria de ensino de Araraquara… Processo 1981/000/04 (02 Volumes) – Publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo – terça-feira, 31 de agosto de 2010, Seção II São Paulo, 120 (165) – página 29.
Mas alguém viu estas notícias nos jornais, TV ou Rádios? Cadê a manifestação do sindicato de professores? Cadê a manifestação do sindicato dos diretores de escola? Não vi nem mesmo criticas contra o deputado governista que tem sua base política em Araraquara…

Todos os candidatos dizem que “estão ao lado dos professores”.
Espero que eu ainda viva para ver um candidato que “esteja ao lado dos alunos”.

São Paulo, 21 de setembro de 2010.
Mauro Alves da Silva
Coordenador do Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública – COEP
http://MovimentoCOEP.ning.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s