Bullying: Conselho Nacional de Justiça livrando a cara dos professores?

É uma vergonha a cartilha “Bullying – Cartilha 2010 – PROJETO JUSTIÇA NAS ESCOLAS”, lançada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Em nenhum momento fala das responsabilidades de funcionários, professores e direção escolar que promovem ou incentivam o bullying…
Isso não foi surpresa, pois a principal autora da cartilha é a psiquiatra Ana Beatriz Barbosa Silva, useira e vezeira em culpabilizar as famílias e as crianças, livrando a cara da escola… Essa psiquiatra chegou ao absurdo de afirmar que a moral da criança já estaria formada aos 8 meses de vida!!!

A “cartilha” já começa culpando os pais:
“QUAIS AS PRINCIPAIS RAZÕES QUE LEVAM OS JOVENS A SEREM OS AGRESSORES?
1. Muitos se comportam assim por uma nítida falta de limites em seus processos educacionais no contexto familiar”.
E assim vai… culpando o modelo familiar: “Tais agressores procuram nas ações egoístas e maldosas um meio de adquirir poder e status, e reproduzem os modelos domésticos na sociedade”…
Chegando ao cúmulo de acusar nossas crianças de psicopatas: “E, por fim, nos deparamos com a minoria dos opressores, porém a mais perversa. Trata-se de crianças ou adolescentes que apresentam a transgressão como base estrutural de suas personalidades. Falta-lhes o sentimento essencial para o exercício do altruísmo: a empatia”. (páginas 8 e 9, “Bullying – Cartilha 2010 – PROJETO JUSTIÇA NAS ESCOLA”, CNJ – 2010).
Nenhuma palavra sobre professoras que agem de forma “sádica, egoísta e violenta ao agredir e humilhar as crianças” (Processo nº 576.01.2010.014316-6, juíza Maria Leticia Pozzi Buassi condenou ou 8 professoras a 4 anos de cadeia por praticarem tortura contra crianças pequenas em uma creche na cidade de São José do Rio Preto-SP, veja aqui: Educadora Nota 10)…

A grandes mentiras ou omissões da Cartilha do CNJ:
1) Por que a cartinha do CNJ não informa que a maior parte das agressões acontece em sala de aula?
2) A cartinha do CNJ mente ao dizer que as vímas de bullying não denunciam o caso para professores e diretores… As estatísticas demonstram claramente que as vítimas pedem ajuda, mas frequentemente tais pedidos são ignorados…
3) Por que a cartinha do CNJ não trata dos abuso físicos, mentasi e sexuais praticados por funcionários e professores contra alunos? Nestes ambientes devassos, será que existe possibilidade de uma vítima denunciar o bullying praticado por alunos?
4) Por que a cartinha do CNJ não informa que as vítimas e suas famílias podem e devem denunciar as unidades escolares que não tomam providências para prevenir ou combater o Bullying? O caso de Columbine (EUA, 1999) é exemplar: as famílias das vímas processaram a escola também…

Leia o artigo na íntegra aqui.
– A miséria da psiquiatria e o IgNobel de Medicina.
– Aos doutos juristas do Conselho Nacional de Justiça – CNJ.

Leia mais aqui:
– 18 Famílias das vítimas de Columbine vão processar o xerife, a escola, e os fabricantes de armas (leia aqui, em inglês);
Bullying e a campanha da Rede Globo para demonizar os alunos (17/08/2010)

18/08/2007 – Bullying: Responsabilidades e Hipocrisias

30/01/2009 – TV Globo não tem coragem de mostrar uma escola pública…
12/11/2008 – Novela da TV Globo vai demonizar aluno da escola pública
30/11/2008 – Glória Perez ignora abusos dos professores da Índia…

São Paulo, 22 de outubro de 2010.
Mauro Alves da Silva.
Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública

http://movimentocoep.ning.com/

Autor das cartilhas:
– “Como Educar meu Professor em 10 Lições”
– “SOS Aluno – Manual Prático de Sobrevivência na Escola Pública”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s