Por que a Rede Record protege o nome da escola que não tem professor?

Curiosidade: por que a Rede Record de Televisão não divulgou o mome da escola estadual em que os alunos são dispoensados mais cedo por falta de professores?
Qual é o nome da escolinha de Hortolândia?
Por que a Rede Record não entrevistou a diretora da escolinha?
Por que a Rede Record não foi até a diretoria de Ensino de Hortolândia falar com o tal de “Cláudio”? Ele mandou a mãe do aluno ir reclamar com a “Dilma”!!!
Por que a Rede Record deu trela às falácias do sindicato das professoras, que só sabe reclamar dos salários?

***
publicado em 16/02/2011 às 18h01:
Pais e alunos reclamam da falta de
professores em escolas estaduais de SP

Estudantes voltam mais cedo para cada com frequência em Hortolândia
Do R7, com Rede Record

Alunos de uma escola estadual de Hortolândia, no interior de São Paulo, voltam pelo menos duas horas antes para casa todos os dias. O motivo é a falta de professores no colégio.

Mas o problema não é só do município. Segundo Roberto Polle, diretor da Apeoesp (Sindicato dos Professores de Ensino Oficial do Estado de São Paulo), a falta de educadores é algo cotidiano em 80% das escolas estaduais paulistas.

– As áreas mais prejudicadas são as de física química, biologia, filosofia e sociologia, especialmente disciplinas do ensino médio.

Como o número de aulas por semana do professor é bem reduzido, eles têm que se dividir entre várias escolas, diz Polle.

Leia aqui:

Anúncios

Uma resposta para “Por que a Rede Record protege o nome da escola que não tem professor?

  1. A Folha Online conta uma historinha diferente… chega a acusar diretamente um aluno, ignmorando até mesmo a fala da professora, que disse ter sido uma “guerra de objetos”:

    17/02/2011 – 19h41
    Professora tem olho ferido por apontador no interior de SP

    FÁBIO AMATO
    DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

    Uma professora de 50 anos teve o olho ferido por um apontador atirado por um aluno do primeiro ano do ensino médio em uma escola estadual de São José do Rio Preto (440 km a noroeste de São Paulo).

    O caso aconteceu na segunda-feira (14) na Escola Estadual Dr. Oscar Barros Serra Doria, que fica no bairro Solo Sagrado, periferia da cidade.

    O aluno foi identificado. O conselho escolar do colégio, em reunião com os pais do rapaz nesta quinta-feira, decidiu puní-lo com um dia de suspensão.

    De acordo com a polícia, a professora Rosemeiri Aparecida Silveira Souza estava substituindo uma colega na aula de geografia. Quando o sinal tocou anunciando o fim da aula, os alunos se levantaram para sair da sala e ela se colocou na frente da porta para impedí-los.

    Rosemeiri estava atendendo a orientação da direção da escola, que prevê que os alunos devem permanecer na sala até a chegada do próximo professor.

    No momento em que impediu a saída dos adolescentes, um apontador foi atirado e atingiu o olho direito da professora. Ela passou por atendimento médico que constatou uma lesão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s