Governos criam Programa Mães e Pais Visitadores nas Escolas Públicas.

mpbrasilia01042013_5
Postado por Mauro Alves da Silva em 1 abril 2013 às 9:00
Exibir blog

Eleitos na própria escola, mães ou pais receberão um salário mínimo mensal para visitar e fiscalizar as escolas públicas, os funcionários e os professores.

Agência Piratininga Press
Direto da Redação

Última atualização – 01/04/2013, 8h013

Em uma reunião de emergência na manhã de hoje, convocada pelo Governador Geraldo Alckmin (SP), o ministro da Educação Aluízio Mercadante, o secretario Herman Voorwald (SP), e o Secretario Municipal de Educação César Callegari (S. Paulo-SP) decidiram aprovar o Programa Mães e Pais Visitadores nas escolas públicas brasileiras.

A reunião foi convocada pelo governador Geraldo Alckmin após assistir ao filme “Professora Sem Classe” (Bad Teacher, 2011), no qual uma professora engana os seus alunos, furta o dinheiro da escola, fuma maconha e ainda frauda o exame nacional de avaliação. Alckmin lembrou-se imediatamente das fraudes praticadas pelas escolas no Índice de Desenvolvimento da Educação em SP (Idesp), que avalia alunos dos anos finais e paga bônus de desempenho para funcionários, professores e diretoras segundo a nota dos alunos. ninguém esqueceu o caso da escola estadual Reverendo Augusto da Silva Dourado, (Sorocaba-SP: nota “dez” em 2011 e nota 2,4 em 2012 na disciplina “matemática”.

Na reunião, o Ministro da Educação Aluízio Mercadante lembrou que é muito comum que professores e diretores desestimulem os alunos “mais fracos” a não fazerem o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), pois não aceitam nenhum tipo de fiscalização nem avaliação sobre o péssimo serviço prestado pela maioria das escolas brasileiras. Mercadante ainda lembrou o caso da aluna Isadora Faber, que vem sofrendo perseguições e ameaças após divulgar na internet as mazelas da escola de Educação Básica Maria Tomázia Coelho (Florianópolis-SC). Ele também lembrou a dificuldade de se implantar o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos nas escolas públicas.

O secretário estadual Herman Voorwald destacou que os professores da rede faltam impunemente nas escolas públicas de SP; e que os dados da violência escolar são fraudados constantemente, pois as direções escolares são premiadas quando diminuem as taxas de violência escolar.

O secretário municipal César Callegari informou que existia um pacto sinistro entre a antiga gestão e o sindicato para a não divulgação das notas das escolas municipais na Prova São Paulo. Callegari disse não ter se surpreendido com a nota do Ideb de algumas escolas municipais, pois já tem informações de que uma delas, a Emef Marechal Deodoro da Fonseca, tem o hábito de expulsar alunos “mais fracos” e até mesmo denúncias de agressões contra alunos especiais. Ele lembrou que criou, em Taboão da Serra-SP, o programa “professora visitadora”, professoras pagas para visitar os alunos e seus pais em suas próprias casas: “conhecendo a realidade dos alunos e de suas famílias, as escolas podem criar uma estratégia para melhor atende-los”, disse. Callegari sugeriu que se criasse um programa parecido, no qual as mães e os pais dos alunos fossem pagos para visitarem e fiscalizarem as escolas de seus filhos; e que fossem até a casa dos professores e funcionários faltosos para ver o motivo pelo qual não estriam cumprindo suas tarefas.

O governador Geraldo Alckmin aprovou a idéia de Callegari e acrescentou o modelo das escolas charter de Chicago (EUA), no qual cada escola elege uma mãe ou pai representante para representar mães e pais pelo período de um ano, sendo remunerada neste período. Alckmin entrou imediatamente em contato com o prefeito Fernando Haddad e com a presidenta Dilma Rousseff, os quais concordaram com as propostas e a presidenta assumiu o compromisso de assinar uma medida provisória para colocar o Programa Mães e Pais Visitadores nas Escolas Públicas em ação. A reunião conjunta está marcada para as 12h de hoje, no Palácio da Alvorada, quando a presidenta Dilma Rousseff vai assinara a Medida Provisória.

Outro lado.
A reportagem ouviu a mãe Cremilda Estella Teixeira, do Núcleo de Apoio a Pais e Alunos (NAPA), a qual foi muito cética: “a idéia é muito boa, mas só acredito vendo”, disse.

Fonte: Secretaria Estadual de Educação de SP.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s